Última Atualização do Site: Sexta-feira, 29 Maio 2020, 15:12h
 
NOTÍCIAS
Segunda-feira, 23 Março 2020
 
DECRETO Nº 054/2020 Situação de Emergência
 
 DECRETO Nº 054/2020

SÚMULA: Decreta situação de emergência no Município de Virmond, como medida de enfrentamento da pandemia decorrente  do novo CORONAVÍRUS (COVID-19) e dá outras providências.

O Prefeito Municipal de Virmond, Estado do Paraná, Sr. NEIMAR GRANOSKI, no uso das suas atribuições legais, conforme o art. 90, inciso XV, da Lei Orgânica:

Considerando que a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantindo mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação, na forma do artigo 196 da Constituição da República;
Considerando a Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, que dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências;
Considerando o Decreto Federal nº 10.212, de 30 de janeiro de 2020, que promulga o texto revisado do Regulamento Sanitário Internacional;
Considerando a Portaria MS/GM nº 188, de 3 de fevereiro de 2020, do Ministério da Saúde, que declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da Infecção Humana pelo novo CORONAVÍRUS;
Considerando a Portaria MS/GM nº 356, de 11 de março de 2020, do Ministério da Saúde, que regulamentou e operacionalizou o disposto na Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020;
Considerando o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo CORONAVÍRUS COVID-19 publicado pelo Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, em fevereiro de 2020;
Considerando a declaração da Organização Mundial da Saúde em 30 de janeiro de 2020, de que o surto do novo CORONAVÍRUS (COVID19) constitui Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII);
Considerando a classificação pela Organização Mundial de Saúde, no dia 11 de março de 2020, como pandemia do COVID19;
Considerando a gravidade do presente momento, em que se faz imperiosa a adoção das medidas necessárias à prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública;
Considerando que o Poder Público tem o poder-dever de fazer uso de seu poder de polícia para fins de coibir, no interesse da coletividade, da saúde pública e da salubridade pública, a atividades, condutas e ações que possam contribuir na disseminação do CORONAVÍRUS;

DECRETA:

Art. 1º. Fica declarada SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA EM SAÚDE PÚBLICA no Município de Virmond em razão da pandemia declarada em virtude de doença infecciosa viral respiratória causada pelo agente etiológico “novo CORONAVÍRUS” – COVID 19.
Art. 2º. Fica decretada a quarentena de modo que está proibida em todo o Município a realização de eventos, públicos ou particulares, com aglomeração de pessoas, em qualquer quantidade.
§ 1º – A proibição que trata o caput do presente artigo aplica-se aos casos de festas particulares, sejam abertas ao público ou não, cultos religiosos, reuniões de trabalho em empresas, assembléias, conferências, audiências, entre outros.
§ 2º - Não se concederá nenhum alvará para eventos de natureza que trata o presente artigo.
§ 3º - Todos os servidores municipais devem fiscalizar o cumprimento da presente determinação, comunicando imediatamente a Secretaria Municipal de Saúde acerca de eventual descumprimento, sob pena de infração administrativa e abertura de processo disciplinar.
§ 4º - Os particulares que violarem a proibição ficarão sujeitos às sanções penais, civis e administrativas, imposição de multa e comunicação ou encaminhamento à Autoridade Policial e ao Ministério Público, conforme disposição da legislação vigente.
Art. 3°. Fica determinada a suspensão pelo prazo de 15 dias corridos, a partir de 23/03/2020, do funcionamento dos seguintes estabelecimentos e atividades:
I – Lojas de roupas, material de construção;
II – Restaurantes, bares, lanchonetes e similares;
III – Hotéis e casas de hospedagem para novas hospedagens;
IV – Clubes, associações recreativas e similares;
V – Academias de ginástica e similares;
VI – Utilização de áreas comuns, praças, parques, academias públicas, salões de festas e similares;
VII – Quaisquer outros serviços ou atividades privadas com atendimento ao público, não expressamente executados no presente Decreto;
§1º - Fica autorizado o funcionamento de restaurantes, lanchonetes e demais estabelecimentos de gêneros alimentícios, exclusivamente, para atendimento de serviço de entrega.
Art. 4º.  Ficam mantidas as atividades essenciais, assim consideradas:
I – Distribuição e venda de medicamentos e gêneros alimentícios, tais como farmácias, mercados, açougues e padarias;
II – Postos de combustíveis e postos de lavagem e higienização de veículos;
III – Distribuidoras de gás e água;
IV – Clínicas e farmácias veterinárias, lojas de suplemento animal (alimentos e medicamentos para animais), cooperativas e unidades de recebimento de grãos e produção agrícola.
V – Borracharias, auto elétricas, oficinas mecânicas e serviços de guincho, mediante o sistema de plantão para atendimento de situações emergenciais;
§1º - Os estabelecimentos e atividades previstas no caput deste artigo, deverão adotar as seguintes medidas cumulativamente:
I – Realizar o controle de entrada e tempo de permanência, conforme orientação a ser expedida pelas autoridades de saúde de acordo com o tamanho de cada estabelecimento, visando evitar em qualquer caso aglomeração de pessoas;
II - Disponibilizar na entrada do estabelecimento e em outros lugares estratégicos de fácil acesso, álcool em gel para utilização de funcionários e clientes;
III – Higienizar, quando do início das atividades e após cada uso, durante o período de funcionamento, as superfícies de toque (carrinhos, cestos, cadeiras, maçanetas, corrimão, mesas e bancadas), preferencialmente com álcool em gel;
IV – Manter locais de circulação e áreas comuns com pelo menos uma janela externa aberta ou qualquer outra abertura, contribuindo para a renovação de ar;
V – manter disponível kit completo de higiene de mãos nos sanitários de clientes e funcionários, utilizando sabonete líquido, álcool em gel e toalhas de papel não reciclado;
VI – fazer a utilização, se necessário, do uso de senhas ou outro sistema eficaz, a fim de evitar a aglomeração de pessoas dentro ou fora do estabelecimento;
VII – determinar, em caso haja fila de espera, que seja mantida distância mínima de 2 (dois) metros entre as pessoas.
§2° - É de inteira responsabilidade dos estabelecimentos mencionados no presente artigo a implementação das medidas dispostas no §1º sob pena de aplicação das penalidades estabelecidas pelo presente Decreto.
§3º - No caso dos estabelecimentos descritos no inciso I (mercados, açougues e padarias) fica proibida a permanência de pessoas para o consumo de alimentos no local;
Art. 5º. Na realização de velórios e funerais deverá ser observado as recomendações das autoridades de saúde pública evitando aglomerações e serem realizados pelo período máximo de 3 (três) horas, na capela do cemitério municipal, mantendo álcool em gel em locais de fácil utilização e respeitada a distância mínima entre pessoas, se a causa não for morte por CORONAVÍRUS.
Art. 6º. Fica determinado o isolamento compulsório no período de 24 horas por dia, exceto para o deslocamento em decorrência de trabalhos essenciais ou eventual urgência.
Art. 7º. Fica decretado a paralisação de serviços não essenciais prestados pelo município, tanto na parte de trabalho interno quanto na secretaria de Viação, Obras e Urbanismo, sendo que os serviços essenciais como coleta de lixo, serviços internos na administração, e serviços emergenciais continuam. Os demais servidores ficam em sobreaviso e poderão ser convocados a qualquer momento pelo poder Público conforme a necessidade.
Art. 8º. Fica o poder Público autorizado a fazer treinamento de pessoas voluntárias para que as mesmas possam ajudar em casos extremos, contando que sejam pessoas fora da área de risco.
Art. 9º. O estabelecimento que não observar as regras previstas no presente Decreto será notificado a regularizar a situação e, caso não a faça, terá seu alvará de funcionamento cassado e o estabelecimento será interditado.
Art. 10º. O descumprimento das disposições estabelecidas neste Decreto implicará na penalização dos infratores em âmbito civil, penal e administrativo, além do cumprimento coercitivo das normas nele contidas, através do poder de polícia do Município de Virmond.
Art. 11º.  Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.


Gabinete do Prefeito Municipal de Virmond, Estado do Paraná, em 23 de março de 2020.



Neimar Granoski
Prefeito Municipal
VEJA TAMBÉM

22/05/2020

     

30/04/2020

     

06/04/2020

     

01/04/2020

     
AVISOS
Nenhum aviso publicado.
SERVIÇOS
   
Prefeitura de Virmond - Estado do Paraná
AV. XV de Novembro, 608, Centro
Telefone: (42) 3618-1122
Horário de Atendimento: 7h30 às 11h30 / 13h às 17h
Venha nos fazer uma visita,
estamos de portas abertas para você!